Perfil

Nicolas Yudji Bernal

    Nasc   : 27/03/2002
    WS ID  : BRANB8
    Clube  : Yacht Club Santo Amaro (YCSA)
    
Escola : Colégio Miguel de Cervantes - São Paulo
    Numeral usado nas classes:
      Optimist    : BRA 3505 e BRA 3163 (até 2013)
      Laser 4.7   : BRA 162914
      Laser Radial: BRA 186048
      29er        : BRA 1317, BRA 1808, BRA 1811


Trajetória no optimist


Nicolas começou a velejar de optimist em 2011 com 9 anos, quando entrou para a escola de vela do Yacht Club Santo Amaro (YCSA). Desde o início mostrava facilidade e gosto em velejar.

Em 2013, após completar dois anos de escola de vela, foi convidado a integrar a Equipe de Vela Jovem do YCSA, quando participou da sua primeira regata de optimist: a Regata da Flotilha da Garoa (na Represa Guarapiranga). Estava na categoria estreante (principiante), ou seja, o primeiro ano de competições.

Ainda em 2013, em meados do ano, fez seu primeiro treino no mar, em Ilhabela, sendo apresentado a novas condições: onda e correnteza. Ao final do ano conquistou o 1º lugar no ranking da COSP na categoria principiante. Outro resultado importante foi o 2º lugar na categoria estreante infantil no Campeonato Norte Nordeste de Optimist. Sua última regata na categoria estreante foi na Copa Brasil de Estreantes de Optimist, em Maria Farinha (PE), conquistando o 3º lugar na categoria infantil.

Em 2014 passou para a categoria veterano infantil com importantes conquistas na categoria veterano infantil: 2º lugar no Campeonato Norte Nordeste de Optimist em Salvador (BA), 1º lugar na Semana de Vela de Buzios (RJ) e o 3º lugar no Campeonato Paulista 2014.

Em 2015 foi 1º lugar no Ranking COSP, no Campeonato Paulista e no Campeonato Norte Nordeste.

Em 2016 novamente foi 1º lugar no Ranking COSP, no Campeonato Paulista, na categoria geral do Campeonato Norte Nordeste e no Campeonato Brasil Centro de Optimist.

Mas seu principal resultado na classe optimist foi a conquista do campeonato brasileiro de optimist em 2017.


Trajetória na classe laser


Em dezembro de 2016 Nicolas fez uma clínica de Laser 4.7 tendo em vista sua participação no Campeonato Brasileiro da Classe Laser 4.7 de 2017 que seria realizado no mês seguinte na Represa Guarapiranga. Surpreendendo a todos conquistou o 2º lugar no Campeonato Brasileiro de Laser 4.7 de 2017.

Estreou na classe Laser Radial em setembro de 2017, na Copa da Juventude realizada em Maria Farinha (PE) onde, apesar do vento forte e de ser muito leve para a classe ficou na 11ª colocação. Em janeiro de 2018 conquistou o 1º lugar da categoria sub 17 e o 9º lugar na geral no Campeonato Brasileiro de Laser Radial.

Tragetória na classe 29er


No setembro de 2017 Nicolas, em continuidade ao seu plano de aprendizado, escolheu a classe de velejadores de dupla que iria focar em 2018: a classe 29er e seu proeiro: Gabriel Michaellis (Gagui). Até dezembro, além dos treinos na classe 29er, dividiu seu tempo com regatas e treinos nas classes Laser Radial e Optimist. Em dezembro de 2017 participou de seu primeiro campeonato na classe 29er: A Copa Brasil de Vela Jovem, em Ilhabela. As condições foram muito difíceis, com regatas disputadas com vento entre 10 e 18 nós e muita onda. Ficou em último lugar dentre os quatro participantes, mas velejando sempre junto com a flotilha. No mês seguinte, em janeiro de 2018, surpreendendo a todos, foi Campeão Brasileiro da Classe 29er no campeonato disputado na Represa de Guarapiranga.


Tragetória na vela de oceano


Nicolas também participou de diversas travessias e regatas em veleiros de oceano.

Em 2010 fez o trecho entre Rio de Janeiro e Salvador em um Volker 38. Em 2011, Nicolas participou de regatas com seu pai, Volnys Bernal, no Jazz IV, um veleiro de oceano modelo velamar 31. Em 2012, a bordo do Jazz IV velejou o trecho entre Vitória e Salvador do Cruzeiro da Costa Leste e, depois, participou da tradicional Regata Aratu Maragojipe (BA).
Equipe Chorma (B&C 46)
Veleiro Chroma (B&C 46)

Entre 2012 e 2013 foi tripulante mirim do veleiro Chroma (B&C 46), participando de várias regatas em Santos, Ilhabela (incluindo a Regata Volta da Ilha dos Alcatrazes e Volta da Ilhabela) e no Rio de Janeiro (Circuito Rio).

Já mostrava intimidade e facilidade com a vela, sendo acolhido e incentivado por todos os tripulantes adultos.